Audi deve retornar ao Mundial de Endurance

fabricante volta do lugar que nunca deveria ter saído (Audi Sport)

A Audi confirmou nesta segunda-feira, 30, que está  “se preparando intensamente”, para um retorno ao Mundial de Endurance A notícia publicada pelo site em nota divulgada à imprensa, o fabricante alemão deverá retornar ao WEC, após o término da temporada 2021 da Fórmula E.

O fabricante confirmou seu envolvimento na Fórmula E depois de sete temporadas para começar a se preparar para um projeto na futura classe LMDh e uma participação de fábrica no Rally Dakar em 2022.Julius Seebach, o novo diretor de Motorsport da Audi no próximo ano, explicou que as corridas de carros esportivos continuam sendo um aspecto fundamental das atividades de corrida futuras da empresa dentro de seu objetivo na de busca tecnologias mais limpas..

A fórmula LMDh que a Audi deve adotar exige que os carros funcionem com um sistema híbrido de especificação, contribuindo para uma potência total de 500 kW. A futura classe poderá competir tanto na IMSA quanto no WEC. “Estamos avaliando outros campos de atividade possíveis para nós no automobilismo internacional”, disse Seebach.

“Ao fazer isso, temos os desejos de nossos clientes em mente, tanto quanto a estratégia futura da empresa, que está claramente focada na eletrificação e mobilidade neutra em carbono,” disse.

“É por isso que estamos nos preparando intensamente para entrar na nova categoria de protótipos esportivos LMDh com suas corridas de destaque, Daytona e Le Mans.”

“A mensagem mais importante para os nossos fãs é que o desporto motorizado continuará a desempenhar um papel importante na Audi.”

O chefe da equipe de Fórmula E da Audi, Allan McNish, duas vezes vencedor com o fabricante no LMP1, acredita que o LMDh é a “fórmula certa” para seguir em frente.

“Pessoalmente, acredito que é o formato e a fórmula certos para o próximo período, daqui para frente”, disse McNish. “Isso cria uma plataforma onde você pode ter o mesmo carro correndo em todo o mundo. Os EUA, são um grande mercado para praticamente todos os fabricantes de automóveis”.

“Mas Le Mans ainda é uma corrida-chave do mundo no automobilismo Acredito que é a plataforma certa para avançar e estou muito satisfeito com a união da IMSA e da ACO no primeiro ponto do regulamento. Afirmei que estava muito satisfeito com o fato de as duas partes terem realmente se unido com uma visão global multiesportiva de carros esportivos,” finalizou. A coirmã Porsche tem até o final de novembro para decidir se se compromete com a futura classe LMDh.

Published
2 meses ago
Tags
, ,
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Jornalista formado pela Universidade do Vale do Itajaí - Univali. Mantem o site Bongasat.com.br desde 2009 de forma independente. Acredita que a informação, precisa ser divulgada de forma rápida, para que o leitor possa criar seu ponto de vista, e fugir de ostracismos e "especialistas" que povoam a imprensa automobilística no pais.