Asian LMS pode ter duas gerações de LMP2 na próxima temporada

Asian LMS pode ter duas gerações de LMP2 na próxima temporada

Jackie Chang DC Racing compete com as duas gerações do Oreca no WEC e no Asian LMS. (Foto: Divulgação)

A primeira etapa da temporada 2018/19 do Asian Le Mans Series aconteceu neste domingo, 24, no circuito de Xangai, na China. Um dos pontos que garantiram o sucesso do evento e principalmente a manutenção das equipes, e a aceitação de protótipos antigos na classe LMP2, como o Oreca 05 e Ligier JS P2.

Os modelos estiveram presentes tanto no European Le Mans Series como no Mundial de Endurance até 2016. Foram substituídos pelo Oreca 07 e Ligier JS P217 e utilizam obrigatoriamente um motor Gibson V8. A “novidade” vai estar presente na temporada 2019/20. A questão é se os antigos LMP2 serão elegíveis, ou se irão compartilhar a mesma pista. Para o diretor da série, Taesch Wahlen, é um ponto que mais cedo, ou mais tarde, seria posto na mesa.  

“Dissemos que na temporada 2019-20 nós introduziremos os carros de nova geração”, disse Taesch Wahlen ao Sportscar365. “A única coisa que ainda não decidimos é saber se introduzimos os carros novos e nos livramos dos antigos ou botamos os carros antigos em uma categoria Am.”

“Se quisermos crescer com os LMP2 na Ásia, em algum momento você tem que tomar uma decisão como esta.”

Mesmo que os dois modelos partilhem a mesma pista, os antigos LMP2 terão que passar por ajustes, pois são mais lentos que a atual geração. Equipes como a Jackie Chan DC Racing e a United Autosports, já dispõem de novos protótipos. “A tendência é, sim, todas as equipes gostariam de ver o carro de nova geração elegível e manter o antigo para o Am Trophy”, disse ele. “Não significa que isso vai acontecer, porque isso não significa que eles farão ou seus clientes decidiram fazê-lo.”

“É aqui que temos que ler nas entrelinhas e tomar a decisão correta.”

Mesmo que os carros novos estejam disponíveis, resta saber se equipes com recursos financeiros parcos, irão aceitar investir. “Não é apenas uma questão do que eles gostariam de fazer no melhor cenário”, disse ele. “As equipes têm clientes com orçamento para um carro de nova geração para competir no Asian LMS? Talvez eles tenham clientes para LMP3 e GT.”

“Então, você tem a questão da logística. Se introduzirmos o carro de nova geração, eles terão que transportar o frete após as 4 Horas de Portimão em outubro, o mesmo chassi para competir no Asian Le Mans em novembro.”

“Então, ele deve ser trazido de volta à Europa a tempo para manutenção, teste, renovação de pilotos e, em seguida, o prólogo para o ELMS.”

“Você tem que levar tudo isso em consideração, e o tempo que leva para transportar os contêineres de volta ou o frete aéreo. Não se trata apenas de saber se as equipes estão interessadas em ter o carro da nova geração elegível na Asian Le Mans Series. É a combinação de todos esses fatores.” Finalizou.

Spirit of Race vence em Xangai pelo Asian Le Mans Series

Published
2 semanas ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *