5 perguntas a Nick Wirth da Wirth Research.

1088409_article_img_large1

A Wirth Research tem se destacado como um dos mais competentes construtores nos últimos anos. Além de desenvolver os programas LMP1 e LMP2 da Honda também é responsável pelos carros da IndyCar. Dessas oficinas recentemente saiu o novo protótipo da equipe Level 5 nos EUA e o anuncio de que a Strakka vai competir no novo mundial de endurance ano que vem com o novo protótipo. Em entrevista a John Dagys Wirth dá mais detalhes dos projetos da empresa.
P. Como surgiu o HPD-03a inicialmente?

R. O 03a representa um sonho pessoal que queria desenvolver a algum tempo já. Isso vem desde 2009 quando fizemos o modelo 02a na LMP1. Aprendemos muito com a aerodinâmica desde carro, combinando com linhas mais longas e limpas. Somado a uma equipe pequena que nos serviu de laboratório. Essa combinação deu origem ao 03a. O carro é um passo a frente do que foi visto em Sebring já que lá não estava com sua aerodinâmica pronta. Estamos animado com o que podemos entregar para a Strakka no próximo ano.

P. Como tem sido a relação com a equipe Level 5 até o momento?
R. Estamos absolutamente encantados em recebe-los para o trabalho. Eles já são parceiros com a Honda no fornecimento de motores. Estamos muito orgulhosos e confiantes com o sucesso do carro já que com o motor Honda é uma combinação perfeita. Eles já estão vendo os benefícios que pudemos fazer, não apenas no carro mas na coisa toda com o uso do simulador. Acho que temos um ótimo relacionamento e sucesso no futuro.

P. Quais são as principais diferenças entre o HDP ARX-01d e o novo 01g que a Level 5 vai estrear em Laguna Seca?
R.  A primeira coisa que precisava ser feito foi uma série de custos fora do carro. A equipe fez uma encomenda grande de peças de reposição, assim fiemos um grande desconto por volume e isso foi a chave para fechar o negócio. Em seguida foram feitas revisões específicas também. O carro original tinha um sistema de gerenciamento eletrônico muito caro. O novo com um custo reduzido já que se adapta ao programas de custo da ACO.
Também foram melhorada a direção e questões regulamentares. Por conta das férias europeias não encontramos jogos de rodas para equipar o carro. Por isso que o carro não estreou em Silverstone.

P. Você acha que há um novo nível de interesse nas corridas de endurance com a chegada do mundial de endurance e o aumento da classe LMP2 com os incentivos para as equipes-clientes?
R. Não a dúvida que o mercado de carros para esse tipo de corrida aumentou. A ACO anunciando o congelamento da classe por 5 anos incentivou o investimento das equipes neste produto. Além disso o valor de revenda desses carros também aumenta. É fantástico. A segunda coisa é que ela será a primeira classe no campeonato europeu a LMS. Assim se você tem um carro da LMP2 pode ser campeão geral o que também é um incentivo.
E sem dúvida o campeonato mundial de Endurance abriu os olhos das pessoas. A grande vantagem com o WEC é que o campeão da LMP2 tem a entrada garantida nas 24 horas de Le Mans.

P. Como está o programa do protótipo coupe que estava planejado para 2012?
R. O protótipo não deve ver a luz do dia até que o novo regulamento em 2014 mais especificado. As mudanças no carro estão sendo discutidas já que o investimento financeiro neste momento é muito alto. Já que seriam feitos apenas um ou dois carros neste meio tempo oque fica difícil.
Published
8 anos ago
Comments
No Comments
Written by Fernando Rhenius
Apaixonado pelo automobilismo, seja ele real ou virtual. Me envolvi com o Endurance há muito tempo e desde 2009 tento, levar um pouco de informação e conhecimento sobre uma das principais categorias do automobilismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *